Primeira mini-entrevista de 2012

[ Sábado de muita comoção para todos do facebook ]

Sabemos que a Teresa Senda Galindo era uma mulher de muita fé, e agora certamente sua alma está em paz. Agradecemos pelo carinho que ela sempre dedicou à minha família e a mim principalmente, com seus elogios, compartilhamentos e amizade no face. Sempre a terei no coração, e sentiremos saudades.

A conheci entre 2011/2012 através da ilustradora Lúcia Brandão, por e-mail, e depois pelo face (o lado bom da rede social). Obrigada, Lúcia, por ter colocado a Teresa em nossas vidas. Lembro que ela ficou muito contente quando a chamei para a minientrevista, e, como sempre, pensando em sua família, ela sugeriu uma minientrevista três-em-um. Adorei a ideia, e hoje fica aqui a minha singela homenagem à Teresa e à sua família. Ah, a conheci pessoalmente em um dos últimos lançamento do Luiz. Ela tirou muitas fotos (confiram aqui). Arigatô por todo carinho.

teresa

Teresa sempre elogiava os meus tsurus e os meus livros, pelo face. Em gratidão ao carinho, enviei um dos nossos livros pra ela, junto com uma caixinha-surpresa de tsurus.  Ela ficou muito contente e, como sempre, muito atenciosa, me mandou essas fotos.  Arigatô! Que os meus tsurus a acompanhem e lhe tragam muita PAZ.

teresa tsuruFotos Teresa Senda Galindo

Ah, e falando em perdas difíceis, quando a minha mãe faleceu (1929-2013), Teresa me mandou uma mensagem linda por e-mail (e a escritora Cristina Porto também, amigas em comum). Em homenagem, me enviou também flores através de fotos. Hoje sou eu quem lhe manda flores, sei que ela adorava!

É um momento para vc assimilar, não sei como me sentiria de fato, pois penso q estou tentando me preparar para esse momento desde criança. Não fomos feitos para isto. Ouvi certa vez o termo “Ko-wakare” (despedida, separação), então tento assimilar.
Entristeço-me por vc, e desejo q fique bem, Tê…
Agora, apenas um apertado abraço… Teresa Senda Galindo

floresparasenda Abraços Redobrados, Tereza, Luiz, Érica e Sansão (para quem ela também dedicava os seus elogios e carinho).

[ Mini-entrevista 3 em 1 (nome sugerido pela Teresa, rs), direto de São Paulo ]

Teresa, minha xará, pertence a um trio de ilustradores, o Douglas Galindo Estúdio, que é formado por ela, pelo Douglas (maridão) e pela linda filha, a Raquel, que também adora ilustrar. Família de artista nota 10!

Eu a conheci por intermédio de outra ilustradora, a Lúcia Brandão, que será a segunda entrevistada do ano.

A Teresa adora a técnica de aquarela, ela já ilustrou muitos livros didáticos e infantojuvenis para diversas editoras.

As aquarelas abaixo, tão delicadas, não são lindas?

Depois dessas belas ilustrações, confiram a cativante mini-entrevista com essa família muito especial. Douglas, Teresa e Raquel, arigatô e abraços triplicados!

O que levou vocês a se dedicarem às ilustrações de livros infantojuvenis e didáticos?

D: Eu já trabalhava com layouts e ilustrações publicitárias, quando no plano Collor (lembram da década de 90?) fui impulsionado compulsoriamente a ilustrar livros didáticos, era um dos poucos segmentos que contavam com verba do governo, e embora na época os grandes ilustradores não o considerassem, essa foi uma saída para nós, que se tornou definitiva. Quanto aos livros infantojuvenis, sempre que possível permitem uma liberdade interpretativa e técnica que nos seduz.

T. Apesar de sonhar em ilustrar livros infantojuvenis, trabalhava na área publicitária. Quando começamos a trabalhar com didáticos tivemos a oportunidade de experimentar os paradidáticos e alguns literários. Toda essa experiência nos levou a ter contato com diversas linguagens e a ver o livro como um todo.

R. Crescer observando meus pais ilustrando materiais didáticos foi um dos maiores motivadores a me dedicar a esta área de ilustrações. Quando na escola pegava um livro que tinha uma ilustração deles, era muito bacana!

“Eu me considero antes uma consumidora do que uma produtora de literatura infantil.” Partindo dessa sua afirmação, qual a sua opinião, como ilustradora, sobre a literatura infantojuvenil contemporânea?

D. Em nossa casa sempre foi comum o convívio com livros, para um artista visual, é uma tentação. Neste momento, vivemos uma situação onde o volume e o acesso às informações é algo tremendo, há um avanço e devemos investir em transmitir valores melhores, quer em texto, quer em imagens.

T. Essa afirmação é minha, rs… A minha relação com livros infantis vem de berço, uma convivência com imagens, o ouvir e o ler, o fazer. Minha maior diversão é ler, e se tem imagens bonitas… preciso adquirir, ter para mim, rs! Então, o desenhar vem em segundo lugar. Sempre tive contato com muita publicação japonesa, os quais foram meus referenciais. Vejo hoje que as publicações infantojuvenis são uma festa em termos de imagens, ritmo, musicalidade, e os conteúdos psico-pedagógicos, interlinguísticos, que são características atuais, permeando os conteúdos de forma encantadora… formando novas gerações com ousadia e inteligência!

R. Estar atualizada sobre assuntos que o público-alvo está interessado facilita muito na hora de fazermos o nosso trabalho. Hoje as coisas mudam muito e muito rápido e por isso considero importante sabermos o que há de novo. [T: Eu admiro, através da Raquel, como a nova geração capta com tanta rapidez tanto a técnica como a qualidade visual que se apresentam nas novas mídias!]

Vocês acham que há preconceito contra a literatura infantojuvenil e os livros didáticos? E qual a opinião de vocês sobre HQs e mangás, sabendo da admiração de vocês por estas outras mídias?

D. Os livros didáticos têm uma vida útil de um ano praticamente, uma boa literatura deveria se tornar eterna. As HQs são um capítulo à parte, uma paixão antiga, veja entrevista sobre HQ de cerca de 30 anos atrás.

T. Eu creio que hoje há muito mais autores que se dedicam à LIJ devido a muitos pioneiros que deixaram marcas importantes tanto no texto como nas imagens. Já somos gerações que cresceram reconhecendo a importância deles na sua própria formação. Os didáticos vêm para cumprir uma função, são mais focados na formação institucionalizada, isso talvez suscite críticas pela discussão sobre o ensino no país.

Acredito que os HQs tiveram maior força no tempo anterior à internet e animês, mas sempre foram tidos como arte menor, marginal, ainda que muito populares.

Nós somos uma geração que cresceu com livros ilustrados, didáticos, HQs e mangás. Meus filhos, entre animês e internet. Vejo que todas as mídias passaram por um período de desconfiança e depois de massificação, com produtos bons e maus.

R. Acredito que hoje temos uma variedade muito maior de LIJ, inclusive os HQs e mangás, do que no tempo de meus pais.

Teresa, na entrevista para o Nelson Albissú (Vice&Versa janeiro), para a Associação dos Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil do estado de São Paulo, você comentou que realizou o seu sonho de ilustrar livros infantis. Aqui fica uma curiosidade: você nunca sonhou em escrever e ilustrar um livro infantil de sua autoria?

T. Inicialmente era suficiente desenhar, pois não tenho habilidade de contar histórias. Com o tempo foi crescendo em mim desejo de desenvolver projetos autorais, projetos que envolvam todos os conhecimentos que temos adquirido até agora. Sou ligada à igreja cristã e vejo a necessidade de materiais de boa qualidade, com linguagem contemporânea. Acho que está chegando a hora de colocar no papel…

Você já trabalhou a quatro mãos, com seu marido Douglas. Agora vocês trabalham a seis mãos, com sua filha Raquel, mantendo o Estúdio Douglas Galindo. Fica uma dúvida, há conflitos de geração?

D. Quando unimos mais de uma pessoa, há que se aprender a ouvir, argumentar seus pontos de vista, prática e seguramente, sem levar para o nível pessoal as críticas, sabendo que ninguém tem toda a verdade e que um trabalho que se desenvolve em equipe é mais maduro. Se você consegue enxergar os benefícios, fica mais fácil nos momentos de divergência. Também é importante querer realizar o melhor com o que se tem, em outras palavras, esforçar-se mas sem ser perfeccionista. Em todo caso, sem “testar” seus argumentos, como ter certeza que estamos de fato realizando algo relevante?

R. Eu acho muito interessante essa diversidade de opiniões, experiências e talentos. Nós sempre nos demos muito bem como família, tentamos superar todas as dificuldades unidos, estes valores são passados também quando estamos em trabalho. Aprender a ter uma rotina definida, a separação de atividades e obrigações, entender que seus pais são seus chefes, tudo isso é muito novo e, de certa forma, divertido. Particularmente, é uma experiência muito gratificante trabalhar com a minha família, pois eu os amo muito. Quando trabalhamos com pessoas que gostamos, tudo se torna muito mais gratificante e os momentos de tensão passam muito rapidamente.

T. Tereza, agradecemos essa oportunidade de falarmos sobre o nosso estúdio permitindo a participação dos três, afinal trabalhamos juntos, rs… para nós foi uma experiência deliciosa!

[ Douglas Galindo]  publicitário e ilustrador, nascido em 10/09/59, casado com Teresa há 27 anos, pai da Raquel e do Douglinhas. Experiência Profissional  Estúdio Douglas Galindo: designer de projetos e ilustrador – atual. Trabalhou como chefe de arte, diretor de arte, ilustrador e designer de projetos, em diversas agências, entre elas:  Motivation & Co. Ilustrações e Serviços Artísticos  Incentive House, do Grupo Ticket. Formação Escolar • Comunicação Social, especializado em Publicidade e Promoção  IMS – Instittuto Metodista de Ensino Superior – 1982. Cursos  Técnicas básicas em Macintosh – Pacote Adobe • Desenho com Luís Gê e Renato Campello  Desenho Artístico e Publicitário – Pro-Tec. Outras Atividades • HQ do Capitão 7 (desenhista)  Criação e desenvolvimento das caixas do Mclanche Feliz.

[Teresa Senda Galindo] Ilustradora editorial, nascida em 24/03/56. Experiência Profissional Estúdio Douglas Galindo: ilustradora de livros infantojuvenis – atual  Motivation & Co.  Editora Abril InfantoJuvenis Formação Escolar  Faculdade de Belas Artes de São Paulo – Ed. Artística, Desenho e Artes Plásticas.

A Teresa mantém o facebook: http://www.facebook.com/teresasendagalindo

Eles mantém o site: http://douglasgalindo.daportfolio.com/

[Raquel Senda Galindo]  Ilustradora digital, filha do Douglas e da Teresa, nascida em 27/06/1989. Experiência Profissional  Estúdio Douglas Galindo: assistente de ilustrações, desde 2010.  Motivation & Co. Formação Escolar • Centro Universitário São Camilo: Administração de Empresas. Conclusão em 2013.

Mantém o site:  http://raquelsgalindo.daportfolio.com/gallery/575199

Anúncios

Um pensamento sobre “Primeira mini-entrevista de 2012

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s