Minientrevista: Telma Guimarães

[ Minientrevista com a escritora bilíngue Telma Guimarães, direto de Campinas ]

A escritora Telma Guimarães eu conheci através dos seus livros, pois, como designer, tive a honra e o prazer de fazer o projeto da capa do seu  Dicionário Ilustrado Junior – Inglês/Português e do seu infantil Toninho, ambos da Atual Editora, graças à gerente de artes, Nair Barbosa. Confira aqui o post com as capas. E através do divertido site de relacionamentos, o facebook, acabamos nos tornando friends, rs. E assim, para começar uma Primavera Florida de Livros, resolvi convidar a Telma com os seus mais de 160 livros publicados, para dividir com vocês um pouco da trajetória dessa autora premiada e muito conceituada, nome importante de nossa literatura infantojuvenil. Arigatô!

Origami by Tereza Yamashita (tsurus em forma de flor). A linda garotinha é a Júlia, a Juju.

O que levou você a se dedicar às crianças e aos livros infantojuvenis?

TG: Eu inventava histórias para que os meus filhos dormissem…Só que ninguém dormia! Ficavam animados, pedindo mais. Para não esquecer das histórias, passei a anotá-las em cadernos. Daí para enviar às editoras, levei algum tempo, reescrevendo, passando a limpo, lendo outros autores. Depois de publicar o primeiro, não parei mais. Hoje, são mais de cento e sessenta títulos, infantis, juvenis, em português, inglês e espanhol, além de um dicionário bilíngue e livros didáticos.

Na infância, quais os autores de que você mais gostava e quais os que mais a influenciaram?

TG: Sempre gostei muito de Monteiro Lobato, desde pequena. Meu pai comprava coleções e eu amava ler os contos dos Irmãos Grimm, Andersen, Perrault, as fábulas de Esopo, La Fontaine, Érico Veríssimo, os clássicos, enfim. Não havia muitas publicações brasileiras em literatura infantil, então eu xeretava as livrarias e bibliotecas para descobrir as novidades… E Laura Ingalls Wilder, com a série Os pioneiros, foi uma delas. Já na adolescência, aproveitei bastante os clássicos da literatura brasileira, portuguesa, inglesa, francesa. Eu pegava de tudo um pouco na biblioteca, Mark Twain, Charles Dickens, Júlio Verne, Machado de Assis, Alexandre Herculano, Padre Vieira, devolvia, retirava novo título. Cursei Letras Vernáculas e Inglês e aí tive contato com os outros autores…Entre os meus prediletos, Edgar Allan Poe, de quem recentemente adaptei em português e inglês, quatro contos (coleção biclássicos Editora do Brasil).

Qual a sua opinião, como escritora e professora, sobre a literatura infantojuvenil contemporânea?

TG: A cada dia me surpreendo com as novidades. Textos que falam de bullying, morte, diversidade…É tudo tão melhor que há trinta anos! E as ilustrações, então? São maravilhosas. É tão rico para o leitor, imagine para o professor! Hoje temos áudio livros, livros só com imagens, livros enormes, quase entramos dentro. A cada dia, uma novidade, um assunto novo pautado, outras mídias.

Você acha que há preconceito contra a literatura infantojuvenil, que as pessoas consideram a literatura adulta superior?

TG: Acho que já melhorou bastante. As pessoas estão finalmente percebendo que não é fácil captar as idéias e palavras das crianças, uma vez que já somos adultos e não pensamos como tal.

Para você, que é professora de letras, as pessoas andam lendo e escrevendo mais e melhor, nestes tempos de internet?

Visualização gráfica de várias rotas em uma porção da Internet mostrando a escalabilidade da rede.

TG: A internet é uma excelente ferramenta para um bom leitor. Fora disso, é um terror para aquele que não lê, pois só copia e cola os textos da internet e não desenvolve um texto autoral e crítico. Acredito que com o advento da internet, as pessoas aprenderam a pesquisar mais, filtrando as fontes confiáveis, a comprar livros novos e usados nas livrarias virtuais, enfim, elas tem um recurso ilimitável de opções que podem enriquecer e muito a sua escrita.

Telma Guimarães Castro Andrade nasceu em Marília, São Paulo, no dia 25 de novembro de 1955. Foi aluna de intercâmbio nos Estados Unidos e possui o Operational Competence in English-Southern Illinois University. É licenciada em Letras Vernáculas e Inglês, UNESP. Foi Professora de Inglês efetiva da rede estadual de ensino em Campinas, SP, até o ano de 1995. Foi cronista do jornal Correio Popular e também Assessora Cultural na Delegacia Regional de Cultura de Campinas. Em 1989 recebeu da APCA o título de Melhor Autora pelo livro infantil Mago Bitu Fadolento, Edições Loyola.

Mantém o site: http://www.telma.com.br e o blogue:  http://www.telma.com.br/blog/

Renomada escritora campineira em entrevista exclusiva ao Portal RAC
Carreira, vida, lembranças. Telma Guimarães abre as portas da sua casa para compartilhar sua paixão pela arte da escrita e da leitura
11/07/2014 – 15h07 – Mariane Montedori – mariane.montedori@rac.com.br

http://www.rac.com.br/_conteudo/2014/07/blogs/olha_so/189150-ff.html

Anúncios

2 pensamentos sobre “Minientrevista: Telma Guimarães

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s