Onde foi parar o encantamento do mundo?

[ Onde foi parar o encantamento do mundo? ]


Todos nós deveríamos fazer essa pergunta que Nelly Novaes Coelho responde em O Conto de Fadas: símbolos – mitos – arquétipos da Editora Paulinas.

Prefácio do escritor Nelson de Oliveira (mestre e doutor em Letras pela USP).

Nossa época terrivelmente materialista e burocrática tem sido muito cruel com a fantasia e a imaginação, duas de nossas faculdades mentais mais estimulantes. Em toda parte, esse modo pacífico e sutil de interagir com a realidade — o prazeroso exercício da fantasia e da imaginação — tem sido sistematicamente desestimulado e desvalorizado. Em nome de quê? Em nome da mecânica rotina da indústria e do comércio, que, segundo certas pessoas, jamais deve ser perturbada por atividades tão pouco produtivas e rentáveis, como a do devaneio e a da criatividade.
Nossa época terrivelmente utilitarista e desencantada precisa urgentemente dos contos de fadas. Essa é a grande afirmação deste cuidadoso e necessário estudo de Nelly Novaes Coelho. Nossa época necessita urgentemente dos contos de fadas, das fábulas, dos mitos, das narrativas fantásticas, de tudo o que esteja carregado de poesia, símbolos e arquétipos, ou seja, de energia vital. O pensamento tocado pelo maravilhoso é capaz de reencantar a realidade, e esse reencantamento precisa começar imediatamente, em casa e na escola, e em seguida se espalhar pelo mundo.
Em entrevistas, palestras e mesas-redondas, Nelly Novaes Coelho não se cansa de dizer, com seu jeito apaixonado e perspicaz: Neste momento, está em curso uma mudança efetiva da percepção do homem em relação ao mundo e a si mesmo, que resultará na criação de novos paradigmas, e os contos de fadas precisam assumir seu papel fundamental nessa mudança. A presente análise das narrativas de Esopo, Perrault, La Fontaine, Grimm, Andersen, Carroll e tantos outros também é um importante gesto nessa mudança efetiva da percepção global.
Nessa análise são reveladas e comentadas as inúmeras camadas ocultas de várias histórias aparentemente simples, sobre animais, heróis e feiticeiras envolvidos em aventuras estranhas e terríveis. Coisa de criança? É claro que sim, mas também de crianças adultas. Afinal essas camadas mais profundas, sua simbologia e seus segredos, são de altíssimo valor para a educação, a psicologia, a psicanálise e os estudos literários. E para a felicidade humana.

[ Nelly Novaes Coelho ]
Paulistana, nascida em 1922, logo depois da eclosão da Semana de Arte Moderna, sob o signo de touro. Carreira acadêmica em Letras da USP. Professora, pesquisadora e crítica. Criou em 1980, na área de Letras da USP a disciplina de literatura infantil, em nível de graduação e pós-graduação, visando à formação especializada dos professores que se destinam à educação de crianças.

Literatura e leitura são entendidas como agentes formadores não apenas de leitores, mas especialmente de consciência de mundo (…).  Nelly Novaes Coelho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s