Fotos do Lançamento de “A cidade das dobraduras”

[Fotos do Lançamento de “A cidade das dobraduras”]

DSC03585

Muito obrigada às professoras Estela Gomes e Maria Cecília Martin Ferri. Foi muito bonita a confraternização, a canção, a dança e a apresentação das arpilleras, com todos os convidados.

20180923_165028

Arigatou, meu coração pulsou mais forte! Obrigada a todos os queridos amigos e novos amigos que prestigiaram o lançamento de “A cidade das dobraduras”, espero que eu tenha conseguido plantar a sementinha do origami no coração de todos.

Captura de Tela 2018-09-24 às 06.20.12

Obrigada a todos que adquiriram o livro na pré-venda, já autografei os exemplares! Obrigada pelas parcerias: Papel Semente, Filiperson Papéis Especiais, Espaço Cayowaá e Edições Barbatana.

20180923_173507

Todas Montagem 2018-09-23 às 11.27.42

Filiperson

Mais fotos no álbum do facebook: 

https://www.facebook.com/tereza.yamashita.9/media_set?set=a.2319228911423967&type=3

A cidade das dobraduras!

[Venham celebrar a chegada da Primavera no Espaço Cayowaá]

Tudo pronto! Os meus tsurus já estão voando pelo Espaço Cayowaá, junto com as minhas bonecas empoderadas, rs.
Vamos dançar e celebrar o início da Primavera com muita Luz, Paz, Origamis e Literatura.
Abraços Dobrados Agradecidos.
Todas Montagem 2018-09-23 às 11.27.42.jpg

 

Fotos no face: https://www.facebook.com/tereza.yamashita.9/media_set?set=a.2318590984821093&type=3

“A cidade das dobraduras”

A cidade das dobraduras

 

Livro para crianças de Tereza Yamashita

Edições Barbatana

Lançamento

Convite A cidade das dobraduras - Tereza e Teo

Dia 23 de setembro, domingo, das 14h às 18h

Local: Espaço Cayowaá
Endereço: Rua Cayowaá, 2093 − Perdizes
A duas quadras do metrô Vila Madalena

No início da primavera, a autora autografará o livro A cidade das dobraduras no Espaço Cayowaá, um lugar muito aconchegante e com boas energias.

Durante o evento, a autora também facilitará um miniworkshop de origami: o Tsuru Que Bate Asas.

Haverá também a Miniexposição de bonecas vestidas com a técnica do origami: O Empoderamento das Mulheres nas Artes – Mulher Samurai, uma pequena homenagem aos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil.

E uma apresentação de Dança Circular, com a focalizadora Estela Gomes, da UMAPAZ (Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz).

Apoios: Filiperson Papeis Especiais + Papel Semente + Espaço Cayowaá.

+   +   +

Release

A cidade das dobraduras

Instragram 2018-09-02 às 06.18.21

Texto de Tereza Yamashita

Ilustrações de Teo Adorno

Ilustras A Cidade das dobraduras

Lombada canoa, formato 20 x 25 cm, 40 páginas
Papel offset 120 g/m2 (miolo), cartão duplex 240 g/m2 (capa)
Edições Barbatana
ISBN 978-85-64155-20-6
Primeira edição: setembro de 2018 – Edição Especial de 150 exemplares
R$ 40,00 (no lançamento e no site da editora)

http://www.edicoesbarbatana.com.br/pd-5e3211

O livro A cidade das dobraduras, lançado pelas Edições Barbatana, fala de uma cidade fantástica que acolhe pessoas do mundo todo!

Essa história sobre origami, ecologia e sustentabilidade é uma homenagem poética ao maravilhoso livro As cidades invisíveis, do escritor italiano Italo Calvino. É uma homenagem também à UMAPAZ, pois em 2011 a autora fez o curso de Arte e Sustentabilidade, oferecido pela Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz, no Parque Ibirapuera.

Foi a partir dessa ideia de sustentabilidade e da leitura do livro do Italo Calvino que Tereza Yamashita escreveu um conto curto, a partir do qual nasceu a história A cidade das dobraduras. Agora o livro se materializou com as lindas ilustrações do Teo Adorno.

Além do livro trabalhar com a temática do origami (paixão da autora), a história fala de ecologia e sustentabilidade, sobre a cultura de paz e a dança circular, temas inspirados em outros cursos que a escritora fez na universidade aberta. Portanto há muita emoção e vivência concentradas nesse trabalho de escrita.

Se você ficou curioso ou curiosa e quer conhecer essa cidade mágica, faça o seguinte:

“Dobre um tsuru que bate as asas.
Feche lentamente os olhos.
Sinta o frescor do vento em seu rosto.
Aspire o cheiro da natureza.
Solte a ave de papel no infinito e siga o som do bater de suas asas.
E descubra o seu caminho para a cidade das dobraduras”.

Instagram 2018-08-29 às 10.14.20

Bonus track

A terceira-capa de A cidade das dobraduras contém um diagrama passo a passo que ensina a dobrar o tsuru que bate as asas, personagem presente no livro. Traz ainda um QR-Code que transporta os pequenos leitores (de todas as idades) para um vídeo em que Tereza Yamashita explica as etapas.

Tsuru

Acompanha a edição um exclusivo Papel Semente: um papel artesanal, ecológico e reciclado, que recebe sementes de flores, hortaliças e temperos durante seu processo de fabricação.

http://www.edicoesbarbatana.com.br/pd-5e3211

Book Trailer

 

 

Participando do projeto “como eu escrevo”

“como eu escrevo”

Que legal! Participando do projeto “como eu escrevo”, que reúne relatos de escritores e pesquisadores sobre seus hábitos e rotinas de escrita. Achei divertido responder o questionário, em consequência aprendemos mais sobre nós mesmos.

Captura de Tela 2018-09-17 às 16.02.59

Captura de Tela 2018-09-17 às 16.02.43

Abraços Dobrados Agradecidos pelo convite ao José Nunes De Cerqueira Neto, que é doutorando em direito na Universidade de Brasília. Confiram o link nos comentários. Valeu!

Como escrevo? 2018-09-11 às 05.53.21

Como escreve Tereza Yamashita: https://comoeuescrevo.com/tereza-yamashita

Onde tudo começou, rs!

[Onde tudo começou, rs!]

O curso de Arte e Sustentabilidade – 2011, na Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura Paz – UMAPAZ, no Parque do Ibirapuera, facilitado pela professora Rita Mendonça. Onde tudo começou… quando escrevi o conto de “A cidade das dobraduras”. Abraços Dobrados Agradecidos e Saudosos.

A CIDADE DAS DOBRADURAS. Uma pequena homenagem à UMAPAZ (professores e amigxs) e ao livro “As Cidades Invisíveis” do Italo Calvino. Abraços Dobrados Agradecidos.

Barbatanatsuruprata2

“Esculpimos as paisagens em que vivemos, determinamos os sons dos nossos ambientes e criamos coreografias por meio dos nossos movimentos, o tempo todo. Definimos as cores e as texturas do nosso mundo por meio das escolhas que fazemos para nos alimentar, nos vestir, morar, nos deslocar, nas relações humanas e com todos os seres vivos. No entanto nossas obras, criadas sem a intenção e a sensibilidade do artista, estão criando um mundo desprovido de beleza e cheio de problemas que afetam nossa capacidade de garantir um futuro saudável.
A sustentabilidade pode ser vista como sendo o convite contemporâneo para todos os cidadãos tornarem-se artistas de seu próprio mundo: cada um de nós pode agir artisticamente, de acordo com nossa identidade pessoal, criatividade e as escolhas que fazemos.
Os artistas expressam sua sensibilidade, visão de mundo e criatividade por meio de diversos suportes. Cada campo da arte coloca em movimento matérias diferentes. Nós podemos nos guiar por alguns caminhos da arte para fazer de nós mesmos, de nossos corpos e gestos cotidianos instrumentos para a criação de um mundo sensível, integrado e belo.” Rita de Cássia Bernardo Mendonça

Rita de Cássia Bernardo Mendonça, graduada pela Universidade de São Paulo (USP) em Ciências Biológicas, é experiente na elaboração, coordenação e execução de programas educativos, voltados para os temas da sustentabilidade, da responsabilidade socioambiental e da ética. Coordena o Instituto Romã e é responsável pela difusão do Sharing Nature no Brasil. Tem livros e artigos publicados, entre os quais Conservar e Criar, pela Editora SENAC.

 

https://yamashitatereza.wordpress.com/2011/04/15/origami-arte-e-sustentabilidade/

Tsurus + Dança Circular

[Tsurus + Dança Circular]

Instagram 2018-08-29 às 10.14.20

Viva, que alegria! A querida Estela Gomes, focalizadora/mestre e coordenadora da Dança Circular na UMAPAZ, aceitou o meu convite para facilitar uma Dança Circular no dia do lançamento de “A cidade das dobraduras”. Abaixo explico a relação da dança com o livro. Ficaremos muito honrados com a sua presença tão iluminada, nesta singela homenagem que fiz aos professores e à UMAPAZ, à Mãe Natureza e a chegada da Primavera. Deixo aqui o meu agradecimento por todo o conhecimento que recebi dos mestres e dos diversos cursos que fiz na universidade. A Dança Circular mexeu muito com a minha sensibilidade, e, apesar de ter duas pernas esquerdas, admiro muito este lindo movimento. Abraços Dobrados Agradecidos do Coração.

Estela Gomes Dança circular 2018-09-10 às 15.00.56

“A cidade das dobraduras”! Edições Barbatana. 
Gostei muito da ideia do livro, afora ele trabalhar com origami (minha paixão), tem a parte de ecologia/sustentabilidade, além do aspecto mais poético, imaginativo. Gostei também da proposta de trabalhar com sustentabilidade, a cultura de paz e a dança circular. O livro é uma singela homenagem ao livro “As cidades invisíveis”, do Italo Calvino, e à UMAPAZ. Em 2011, eu fiz um curso de Arte e Sustentabilidade, na Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura Paz – UMAPAZ, no Parque do Ibirapuera. Foi a partir dessa ideia que eu escrevi um conto, e a partir do conto, eu comecei a escrever o livro. Hoje ele se materializou (prova) com as lindas ilustrações do Teo Adorno. Ah, o local já foi definido, o Espaço Cayowaá (Rua Cayowaá, 2093. Duas quadras do metrô Vila Madalena. Pela Av. Heitor Penteado – Perdizes), no dia 23 de setembro, não percam! O Espaço é muito aconchegante e com boas energias.

17796182_427666524234184_1522787478963169141_n

Vamos origamar o Tsuru Que Bate Asas. E quem ainda não conhece a miniexposição das minhas bonecas vestidas de origami (O Empoderamento das Mulheres nas Artes) terá mais uma oportunidade de conhecer. Viva! Abraços Dobrados Agradecidos e Encantados.
#UMAPAZ #EstelaGomes #DançaCircular

11988392_1937873486438110_5841686484840265249_n

 

Pré-venda com frete gratuito!

Pré-venda! Reserve já o seu exemplar. Não fique sem os seus brindes, rs.

Capa FACE A cidade das dobraduras

Espaçayowaá1

• Brinde 1 – FRETE GRATUITO
Papel Semente encartado no livro, só na primeira edição especial de 150 exemplares. Abraços Dobrados com Papel Semente – Papel Artesanal – RJ.

 


• Brinde 2 – Abraços Dobrados Agradecidos e Voadores. Vamos origamar?
No livro um diagrama e um código (QR Code) que o levará ao vídeo. Aprenda comigo a dobrar o Tsuru Que Bate Asas, meu novo vídeo! 
http://www.edicoesbarbatana.com.br/pd-5e3211
Paulo Verano Angela Mendes editores da #EdiçõesBarbatana

Tela15 2018-08-29 às 05.52.43

Todos Barbatana

Paulo e Angela são os editores! Teo Adorno, de vermelho, o ilustrador. e eu (autora), rs.